Qual a importância e como fazer um planejamento de obras?

Quando pensamos na construção de uma casa, é natural que os diversos procedimentos, indispensáveis para a execução dessa tarefa, venham a nossa mente. Levando em consideração cada um deles, é fácil perceber a importância do planejamento de obras.

Sem esse cuidado, a edificação de um imóvel tende a ocorrer de um modo menos controlado, uma situação que abre espaço para uma série de problemas, como prejuízos e atrasos. Portanto, ao deixar de lado o planejamento, o responsável pela construção apenas aumenta o nível de complexidade de suas tarefas.

Com a finalidade de ajudar você a evitar inconvenientes como esses, preparamos este conteúdo com orientações a respeito do planejamento de obras! Leia o artigo e descubra como elaborar esse plano de um modo rápido e eficiente!

Elabore um orçamento

Um dos pontos mais importantes para que o planejamento de obras de fato seja bem-sucedido é a definição do orçamento. Isso ocorre porque, ele precisa levar em consideração a condição financeira da pessoa interessada em construir o imóvel, os recursos que ela tem disponíveis para a execução do projeto, ao mesmo tempo que computa todos os gastos que estão envolvidos na operação.

Caso essa etapa não seja cumprida com o devido cuidado, os custos da obra podem superar os valores previstos no orçamento, o que forçaria o responsável pela construção a lidar com gastos que não estavam agendados. Dentre os principais itens que esse documento deve conter, podemos citar os seguintes como exemplos:

  • materiais para a construção;
  • mão de obra especializada;
  • acabamentos;
  • documentações e burocracias para a regularização do imóvel.

É interessante ressaltar que, na edificação de imóveis, imprevistos podem ocorrer e causar gastos inesperados. Por essa razão, é interessante reservar uma certa quantidade de recursos no orçamento para possíveis situações inesperadas.

Crie um cronograma

Uma vez que o responsável pela construção estabelece o valor necessário para a realização de cada etapa do processo de construção, o passo seguinte é planejar a execução de cada uma dessas tarefas. É válido ressaltar, porém, que o cronograma, para ser funcional, deve ser elaborado com base no tempo mínimo que cada procedimento da obra costuma demandar para ser realizado.

Além disso, o documento precisa definir pontos como etapas da construção que podem ser cumpridas ao mesmo tempo, sem causar transtornos ou impactos negativos nas outras etapas da construção.

Por fim, assim como ocorre como o orçamento, alguns imprevistos, como chuvas inesperadas, podem atrasar a construção. Isso torna recomendável que o documento inclua os dias perdidos com eventos imprevistos na apresentação do prazo final para entrega da obra.

Administre a regularização da obra

Quando o assunto é o planejamento de obras, muitas pessoas pensam no orçamento e no cronograma, que de fato são fundamentais, mas acabam se esquecendo de outro fator indispensável para a construção, a regularização da obra. Isso porque, se o responsável pela obra não tomar o cuidado de atender a toda a burocracia requerida para que a construção ocorra, ela pode até mesmo ser embargada, causando atrasos e prejuízos.

Portanto, a administração de documentos e autorizações, e as datas em que eles devem ser apresentados às instituições responsáveis pela fiscalização, precisam fazer parte de um planejamento de obras eficiente.

Analisando a complexidade de todos os itens que um plano de construção deve conter, é possível notar que, para que ele seja bem-sucedido, precisa ser feito por profissionais experientes e capacitados. Nesse contexto, contar com uma empresa especializada na execução de obras costuma ser a melhor opção.

Você gostaria de ter acesso aos serviços de uma construtora séria, conhecida no mercado por sua excelência e pela alta capacitação e experiência de seus colaboradores? Entre em contato conosco e descubra os diferenciais da Misorelli Engenharia!  

[ESTENDER + 500] Como ter uma boa gestão de obras e escolher construtora em Itu?

O planejamento é essencial para uma gestão de obras eficiente, mas, no Brasil, pouco se investe nessa fase dos projetos. Por esse motivo, o que pode-se observar são custos excessivos, superfaturamento ou baixa qualidade, com a subutilização dos recursos disponíveis.

Além disso, é preciso contar com a parceria de profissionais qualificados, que possam receber a credibilidade e a autonomia necessária para dar andamento aos projetos e executar a obra nas mesmas condições planejadas.

Neste artigo, trataremos exatamente dos fatores que muitas vezes não são considerados, mas que têm grande influência nos resultados dos projetos e podem ser decisivos para uma gestão de obras eficiente. Confira!

Organize as etapas do projeto

No planejamento inicial é necessário considerar todas as etapas relacionadas ao projeto:

  • fundação;
  • estrutural;
  • hidráulica;
  • elétrica;
  • arquitetônico;
  • ambiental etc.

Materiais, mão de obra e serviços terceirizados precisam ser estudados nesse momento. Tudo deve ser documentado, temporizado e distribuído aos profissionais responsáveis, para que a execução obedeça uma sequência ininterrupta e não crie gargalos entre as fases do projeto.

Cumpra os prazos acordados

Para cumprir com os prazos o primeiro passo é estabelecer metas. Isso ajuda a manter o foco nos objetivos, creditar aqueles que se empenharam para conquistá-las e avaliar o que pode ser realizado para minimizar fatores que geram atrasos, como mão de obra onerosa e falta de material.

Esse requisito também exige certo planejamento, uma vez que é preciso vislumbrar um resultado a longo prazo para que as metas sejam devidamente estabelecidas. O método SMART (Specific, Mensurable, Achievable, Realistic e Time-based) é uma ferramenta muito eficiente para esse objetivo.

Por meio dele o gestor ou engenheiro responsável pela obra pode estabelecer metas mais específicas, mensuráveis, realistas, realizáveis e em tempo hábil para viabilizar resultados mais efetivos.

Esses objetivos devem ser a principal referência para a gestão de obras, já que reduzem os atrasos que tanto prejudicam a credibilidade dos profissionais e da construtora responsável pelo projeto. Também é necessário que elas sejam constantemente monitoradas por meio de KPIs (Key Performance Indicator).

Mantenha o controle do orçamento

Controlar o orçamento de uma obra não é fácil, mas os valores gastos sempre devem estar próximos do que foi calculado inicialmente. Por isso, é preciso organizar e lançar em um sistema de gestão, planilha com todos os custos ou receitas do projeto.

Nesses softwares é possível criar gráficos e relatórios personalizados que revelam especificidades da obra e ajudam a analisar os dados lançados para uma tomada de decisão mais acertada.

Por meio desse fluxo de caixa, por exemplo, é possível acompanhar se os resultados estão de acordo com o investimento realizado até aquele momento. Gargalos também são identificados, como gastos excessivos com determinado material que apontam uma má escolha entre fornecedores.

Além disso, o sistema pode fornecer uma visão geral acerca dos prazos e das obrigações que precisam ser cumpridas, como o pagamento de boletos e a necessidade de materiais e serviços de terceiros, evitando imprevistos e problemas de cunho financeiro.

Promova a redução de custos

Assim como controlar o orçamento, a redução de custos também exige habilidade e é de suma importância para uma boa gestão de obras. Afinal, não adianta fazer planejamento financeiro e não conseguir cumprir com o que foi planejado. Além disso, o que puder ser otimizado sempre agrega mais nos resultados do projeto.

Uma forma de reduzir os custos da obra é comprar com eficiência. Algumas empresas concedem bons descontos àqueles que adquirem volume maior de material. No entanto, essa quantidade deve estar de acordo com o planejado, para não exceder o orçamento previamente estabelecido nem acarretar perdas.

O estudo da necessidade de mão de obra também é importante. Contratar por empreitada pode ser a melhor opção para aqueles que planejam os custos em seus mínimos detalhes. Além disso, quanto mais cedo for a identificação de uma demanda, principalmente se isso envolver o trabalho de equipes terceirizadas, mais fácil será encontrar profissionais competentes para aquele serviço.

A contratação de profissionais qualificados também significa a redução de custos, uma vez que está associada à eficiência e à produtividade no canteiro de obras.

Outra forma de reduzir os custos da obra é atentar para o armazenamento adequado dos materiais. Uma acomodação sem critério pode acarretar a compra de material sobressalente, prejudicar a qualidade dos produtos ou uma perda significativa que onere o fluxo de caixa.

Faça a gestão de suprimentos

Durante as obras, não é viável que o trabalho fique paralisado por falta de material. Essa ociosidade gera custos para o empreendimento e compromete a produtividade dos trabalhadores quando eles retomam o serviço.

Para impedir esse gargalo, é preciso que os materiais já estejam disponíveis quando a obra começar, pelo menos para a primeira fase do projeto. À medida que a obra evolui, o gestor pode estabelecer um critério para a aquisição de mais material, uma quantidade mínima, por exemplo, que quando alcançada justifica a solicitação de mais uma ordem de compra para o setor responsável.

Conte com a tecnologia

A tecnologia tem evoluído para atender as mais variadas demandas na construção civil. Além do sistema de gestão já citado, existem, por exemplo, impressoras 3D que criam materiais utilizados e drones, que realizam a medição da área, fazem o monitoramento das atividades ou a inspeção térmica da estrutura.

Alguns aplicativos também contribuem para a organização e a efetividade de ações durante a gestão de obras, confira a lista a seguir.

Bosch toolbox

A aplicação, desenvolvida pela Bosch, tem funcionalidades que facilitam a execução de obras como conversor de medidas, escalas e marcação de projetos elétricos e de ventilação. Além disso, grava notas de áudio e texto, encontra e compara preços de materiais de vendedores mais próximos da obra.

Dropbox

A grande vantagem do Dropbox é o armazenamento em nuvem dos documentos pertinentes a obra. Isso garante a segurança necessária para o armazenamento de dados e de contratos e ainda possibilita o compartilhamento com vários agentes geograficamente distantes de forma simultânea por meio da Internet.

Jobsite Unite

Esse é um aplicativo que favorece uma comunicação que favorece uma comunicação integrada entre todos os envolvidos na obra, para que os processos sejam acompanhados simultaneamente por todos e possam ser alterados conforme a necessidade em tempo real.

Trello

O Trello é uma famosa ferramenta de gerenciamento de projetos que se adapta a vários casos, inclusive na construção civil. O aplicativo permite organizar tarefas e acompanhar processos de forma dinâmica.

GanttProject

Também é uma ferramenta de gestão de projetos, porém mais específica para a construção civil: permite criar cronogramas de tarefas e vinculá-las, para que cada etapa se inicie a partir da anterior e em tempo hábil do que está planejado. Emite ainda relatórios e permite exportá-los para outros formatos, como XLS e PDF.

UPro

De propriedade da UBuildNet, o programa atende adequadamente todas as necessidades da gestão de obras, com gerenciamento de etapas, cálculo de estimativas, emissão e envio de propostas, ordens de serviço e de compras além do acompanhamento dos custos em tempo real.

Inove com materiais mais eficientes

Além das ferramentas, materiais cada vez mais inovadores já fazem parte de vários projetos, como o bioconcreto e o concreto inteligente, que são capazes de recuperar suas próprias rachaduras, ou o aerogel, uma das substâncias que suporta até 45 mil vezes seu próprio peso e tem poder isolante até 4 vezes maior que a fibra de vidro ou a espuma. Confira também outros exemplos de materiais mais eficientes a seguir.

Telhas solares

A telha solar é uma solução para garantir autossuficiência energética da obra, além da geração de energia limpa e renovável, que deve ser uma prioridade na construção civil. Os painéis ficam acoplados as telhas e realizam sua função como as tradicionais placas solares, porém com um design mais funcional e bonito para o telhado.

Espuma de alumínio

A espuma de alumínio pode ser usada em fachadas, no revestimento criado a partir de diferentes densidades para privilegiar o isolamento acústico ou o controle da entrada de luminosidade no ambiente. Já é uma substância usada na indústria automobilística e tem ganhado grande notoriedade na construção civil.

Contrapiso autonivelante

O ganho de eficiência é o principal objetivo do uso de contrapiso autonivelante, uma vez que o material realiza essa função automaticamente e substitui o trabalho de um profissional, o que significa redução de custo, principalmente em obras de grandes dimensões.

Concreto bioreceptivo

Esse material é a melhor opção para a construção de casas com fachadas e telhados verdes, em que são cultivadas plantas para a criação de hortas e muros com essa característica sustentável. Além de privilegiar uma melhor qualidade de ar, otimiza a temperatura ambiente e ajuda na preservação de espaços verdes que valorizam o meio ambiente dentro de cidades.

O concreto é o principal elemento na construção civil e, por isso, ao ser adaptado a essa nova necessidade facilita o crescimento de organismos vivos, como musgos e vários tipos de plantas, para a manutenção dessa união entre natureza e urbanismo.

Tenha um canal de comunicação integrado

A comunicação no canteiro de obras também deve ser eficiente. Ferramentas que integram todos os setores — planejamento, compras, profissionais etc., ajudam a reduzir os gargalos que podem surgir pela falta de informação, aquisições de materiais sobressalentes ou faltantes, por exemplo.

Além disso, é necessário que os clientes estejam bem informados sobre o andamento do projeto, principalmente quando os imóveis são adquiridos na planta. Essa sensação de pertencimento aumenta o comprometimento no pagamento das parcelas e ajuda a aumentar a credibilidade da incorporadora no mercado.

Priorize a segurança no trabalho

Os riscos da obra e os acidentes de trabalho também podem impactar diretamente na credibilidade do projeto. Durante a gestão de obras, é de suma importância prezar pelas medidas que aumentam a segurança dos profissionais na execução do serviço.

É preciso monitorar continuamente o canteiro de obras e não permitir, em nenhuma hipótese, que qualquer atividade seja exercida sem os equipamentos de proteção individuais (EPIs).

Preze pela sustentabilidade

A sustentabilidade também é uma questão fortemente considerada nos dias atuais. O projeto deve priorizar, por exemplo, a ventilação e iluminação natural no ambiente, para aumentar a eficiência do uso de energia elétrica nas edificações e a gestão ecológica da água, com opções que viabilizam a coleta da água da chuva.

Outra forma de promover a construção verde é buscar soluções que potencializem o uso racional de energia ou viabilizem fontes de energias renováveis, como a energia solar. Os projetos também podem prezar pela redução do uso de materiais de alto impacto ambiental e da produção de resíduos durante a construção, por meio da modulação de componentes que diminuam as perdas ou potencializem a reutilização de materiais.

É possível construir “tetos verdes”, hortas e espaços coletivos, ruas e caminhos que privilegiem a acessibilidade universal, utilizar de dispositivos economizadores de água, por exemplo.

Boas práticas na gestão de obras, baseadas nos pilares da eficiência — baixo custo, qualidade e tempo de execução, podem otimizar o investimento, aumentar a satisfação dos usuários e a credibilidade da empresa no mercado. Uma construtora experiente pode auxiliar na gestão de obras de forma a garantir que todos os processos sejam viabilizados com essa eficácia.

Que tal compartilhar este post em suas redes sociais e ajudar outros profissionais a viabilizar maior eficiência em suas obras?

 

 

 

Qual a importância e como regularizar um imóvel? Entenda aqui

É muito importante para qualquer comprador saber como regularizar um imóvel pronto. Evitar transtornos é o primeiro e mais importante motivo para deixar a documentação em dia e de acordo com as leis estaduais e municipais.

O fato é que um imóvel irregular cria uma situação de insegurança constante ao adquirente, além de ser um empecilho para a obtenção de documentações imprescindíveis, como a autorização de funcionamento, especialmente para imóveis com objetivo comercial. Sem esses documentos o risco mais grave é o fechamento do negócio.

A escritura do imóvel também é um instrumento imprescindível para salvaguardar o imóvel ao seu titular: com ele é possível efetivar uma venda, financiamento ou qualquer outra operação relacionada à transferência dessa titularidade. Por isso, neste artigo discutimos algumas ações que podem minimizar esse risco ao explicar como regularizar um imóvel. Confira!

Imóvel sem escritura

A escritura é o documento formal, autenticado em cartório, que atesta a propriedade do comprador. Sem a escritura, dificilmente uma instituição financeira aprova um financiamento.

Para obtê-lo é necessário encontrar os antigos donos ou herdeiros, assim como o contrato de compra e venda ou documento que comprove a operação e lavrá-lo em um cartório de registro de imóveis da cidade. Os custos são altos, geralmente em torno de 5% do valor venal, além das taxas de autenticação e outras despesas cartorárias que somam aproximadamente R$ 1 mil.

Caso a documentação ou os antigos donos não sejam encontrados, ou se neguem a conceder a assinatura ainda que o imóvel esteja quitado, o adquirente pode entrar na justiça com um processo de adjudicação compulsória em face do promitente vendedor. A sentença do juiz substitui a Escritura Pública e pode ser levada ao Cartório de Registro de Imóveis para que o comprador consiga sua escritura.

Outra medida é entrar com o processo de usucapião, ação que não pode ser movida quando o bem é de propriedade do município ou estado e deve ser comprovada com documentação (contas de consumo, por exemplo) ou testemunhas, que atestem o período de permanência mínimo de cinco anos de moradia no imóvel. Outra característica importante é que esse procedimento deve ser pacífico, ou seja, não pode ser contestado pelo antigo proprietário.

Compra por contrato de gaveta

Esse acordo informal é muito comum e acontece principalmente quando o adquirente negocia um bem sem transferir o financiamento do primeiro comprador. O maior risco nesse caso é do segundo comprador, que não pode comprovar a propriedade do imóvel oficialmente.

A melhor maneira de evitar qualquer transtorno é, a partir do contrato de gaveta, efetivar a escritura do imóvel, assim como obter documentação em que fica claro a venda do imóvel, a partir da descrição do mesmo, valores pagos e forma de pagamento.

Imóvel sem o habite-se

O habite-se é um documento expedido pela prefeitura em favor do proprietário do imóvel quando ele está regular: respeitou as regras de construção estabelecidas, teve um engenheiro contratado para adequar o projeto às exigências municipais e entregou a planta para posterior aprovação.

O processo pode ser demorado, mas reduz os custos com IPTU e ainda garante adequação em caso de venda do imóvel, que pode ficar subvalorizado sem o habite-se.

Imóvel em processo de inventário

O inventário é necessário quando um dos antigos donos faleceu. Existem algumas situações em que o inventário é compulsório com acompanhamento do juiz:

  • o falecido deixou um testamento;
  • existem interessados no bem que são menores de idade;
  • interessados estão envolvidos em processos em que pode acontecer a penhora do bem, por exemplo;
  • há opiniões divergentes sobre a partilha para os herdeiros.

Em todos os demais casos o inventário pode acontecer extrajudicialmente, feito em cartório, com auxílio de um advogado especializado e por meio de uma escritura pública. O procedimento é rápido (30 a 60 dias), mas é muito oneroso.

Existem mais casos em que é preciso saber como regularizar um imóvel: um bem com dívidas, por exemplo, pode ser entregue ao banco como garantia. Existem muitos outros inconvenientes que podem ser evitados com a devida documentação do bem, por isso, agora que você já sabe como proceder, procure um advogado especializado e resolva seu caso o quanto antes.

Compartilhe este post em suas redes sociais para ajudar outras pessoas com situação irregular!

Como escolher uma boa construtora em Itu? Confira nossas 8 dicas

Conforme a cidade de Itu cresce, gerando novas oportunidades tanto para a abertura de empresas quanto de vagas de trabalho, muitas pessoas pretendem se mudar para ela. Nesse contexto, uma das questões mais importantes é saber como escolher uma construtora em Itu.

Isso ocorre porque, embora tecnicamente o indivíduo seja capaz de construir sua casa de forma independente, os custos de tempo e recursos tendem a tornar essa opção pouco interessante. A questão seguinte está relacionada a empresa responsável pela obra. Afinal, uma decisão ruim pode causar graves problemas a pessoa interessada em construir uma casa.

Pensando nesses problemas, resolvemos desenvolver este conteúdo com orientações a respeito dos principais fatores que devem ser considerados por uma pessoa de deseja escolher uma construtora em Itu. Leia o artigo e descubra 8 dicas para tomar uma decisão inteligente!

1. Avalie o histórico da construtora

A edificação de um imóvel é um assunto sério, pois demanda que o seu proprietário invista seu tempo e recursos. Além disso, uma casa está diretamente relacionada a qualidade de vida de uma família, de modo que cada detalhe, desde o seu projeto até as etapas de construções, deve ser devidamente planejado e executado.

Por essa razão, antes de escolher uma construtora em Itu, é importante que a pessoa interessante em construir o imóvel pesquise o histórico das empresas que chamaram a sua atenção em busca de fatos positivos e negativos a respeito delas. Nesse momento, a internet é uma ferramenta extremamente útil!

Ao fazer uso de sites como o Reclame aqui, por exemplo, qualquer pessoa pode verificar as principais reclamações a respeito de companhias, e o modo como as companhias em questão respondem e lidam com tais reclamações. Além disso, em meio aos dados disponíveis na internet, é possível encontrar informações positivas que indiquem algum diferencial.

2. Verifique se ela tem processos

Embora a internet seja uma ferramenta muito eficaz, é possível que alguns detalhes não estejam disponíveis, ou que sejam um pouco complexos para que uma pessoa sem os devidos conhecimentos os interpretem. Nesse momento, é necessário buscar a ajuda de profissionais qualificados.

Quando o assunto está relacionado a problemas legais, essa atitude se torna ainda mais importante. Sim, é possível verificar na internet a existência de processos legais, mas, ao confiar essa tarefa a um advogado, a pessoa interessada em construir um imóvel em Itu passa a contar com serviços mais completos e especializados.

Isso porque, além de identificar qualquer problema entre a construtora e a justiça, o advogado é capaz de compreender a fundo sua natureza e transmitir essa informação a pessoa que deseja escolher uma construtora em Itu. Ao receber dados mais confiáveis, o indivíduo será capaz de tomar uma decisão mais eficiente.

3. Analise seu portfólio

Depois de pesquisar a respeito do histórico das construtoras em Itu, e verificar a existência de pendências legais, a pessoa interessada em edificar uma residência será capaz de elaborar um filtro e reduzir o número de candidatos em potencial. O passo seguinte consiste em estreitar ainda mais esse funil, avaliando diretamente a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de construção.

Nessa etapa do processo de seleção, o indivíduo precisa verificar, de preferência pessoalmente, o portfólio da construtora, para averiguar seu desempenho. Entre os detalhes que devem ser observados nesse momento, podemos citar os seguintes:

  • aparência do imóvel;
  • acabamentos;
  • circulação de ar no ambiente;
  • iluminação natural;
  • força e qualidade das estruturas.

É necessário ressaltar que, por mais que uma pessoa se esforce para se inteirar a respeito dos itens mais importantes em uma construção, sem o conhecimento específico necessário, ela não será capaz de analisar esses pontos com a mesma eficiência de um profissional. Por essa razão, é importante contar com o apoio de um engenheiro, ou arquiteto, no momento de visitar o portfólio da construtora.

Ao tomar esse cuidado, o indivíduo pode deixar a verificação dos detalhes mais específicos da obra para o profissional habilitado. É importante, porém, que o profissional de fato seja de confiança, pois sua orientação terá um grande peso sobre a escolha da construtora em Itu.

4. Procure saber quem são os seus proprietários

Se considerarmos a importância da edificação de uma casa, e o seu impacto sobre a qualidade de vida de seus proprietários, é fácil perceber que todas as medidas, que garantam a segurança da obra, devem ser implementadas. Entre essas medidas, uma das mais necessárias e se inteirar a respeito dos proprietários da construtora.

Isso ocorre porque, por mais que pessoas possam mudar, indivíduos conhecidos por dar golpes, como calotes ou fraudes, podem criar esquema, uma situação que poderia causar graves prejuízos. Além disso, caso o dono da construtora não seja tenha conhecido no mercado, existe a possibilidade de que ele não tenha as qualificações necessárias para gerir um negócio nesse nicho, o que também poderia prejudicar a obra.

Por essa razão, antes de optar por uma construtora em Itu, a pessoa interessada em edificar um imóvel precisa conhecer o histórico de seu proprietário e verificar se ele tem as qualificações necessárias para gerir o negócio. Caso o dono da empresa não tenha experiência no setor, é importante que ele conte com um time de profissionais capacitado e experiente, para prestar a ele a acessória de que necessita na execução de suas tarefas e na tomada de decisões.

5. Verifique se a empresa entrega as obras no prazo

Muitas vezes, o indivíduo se vê forçado a adquirir uma nova casa porque se precisa se mudar por motivos de trabalho ou mesmo de estudos. Em uma situação como essa, a demora na edificação tende a elevar seus custos de aluguel ou hospedagem. É necessário ressaltar, porém, que só porque uma pessoa não precisa arcar com esses custos, não significa que ela precise esperar por longos períodos até que a obra termine.

Por essa razão, antes de fechar contrato com a empresa responsável pela construção, o indivíduo precisa se inteirar a respeito do prazo médio, para que a obra seja encerrada, e do limite máximo de dias que as etapas de edificação podem levar. Em posse de tais informações, ele precisa analisar se o prazo proposto pela construtora em Itu se adéqua as suas necessidades.

Além disso, ele precisa verificar se de fato a empresa, responsável pela obra, costuma cumprir os prazos que apresenta a seus clientes. Se a resposta para essa questão for negativa, buscar por uma companhia mais confiável tende a ser melhor opção.

6. Se informe a respeito de suas certificações e prêmios

Conforme o acesso a informações se torna mais democrático, é natural que as pessoas se tornem mais críticas a respeito dos serviços e produtos que utilizam. Para atender a essa nova demanda do mercado, e demonstrar para o cliente a alta qualidade de seus produtos, companhias de todos os portes passaram a buscar certificações, como o ISO 9001.

Ao fechar contrato com uma construtora certificada, as pessoas interessadas em construir um imóvel recebem uma garantia de que a empresa em questão passou em rigorosos testes de qualidade. É importante, porém, conhecer a certificação e verificar quais critérios a construtora precisa atender, para recebê-la.

Outro modo de avaliar o desempenho de uma construtora em Itu, e verificar se ele recebeu prêmios de instituições responsáveis por avaliar as práticas de empresas. Afinal, esse reconhecimento demonstra que a companhia tem sido eficiente na execução de suas tarefas.

7. Verifique o orçamento da obra

Um consumidor bem informado está sempre buscando pelo melhor custo-benefício, ou seja, pelos serviços ou produtos que entreguem a melhor qualidade por um preço que se encaixe em suas condições. É importante que tais indicadores também sejam adotados na escolha de uma construtora em Itu.

Isso ocorre porque, embora o preço da obra por si só não seja um fator determinado, quando combinado a outros fatores, ele pode demonstrar os diferenciais de algumas empresas. É importante ressaltar, porém, que a pessoa interessada não deve simplesmente buscar pela opção mais barata. Afinal, de nada ainda gastar pouco com a edificação do imóvel e depois sofrer prejuízos com novas obras de manutenção.

8. Conheça a saúde financeira da construtora

Por fim, antes de optar por uma construtora em Itu, a pessoa interessada em construir uma imóvel na cidade de Itu deve se inteirar a respeito das condições financeiras da empresa. Esse cuidado é indispensável para evitar que, sem recursos para financiar sua operação, a empresa deixe a obra pela metade.

Sim, nesse caso o indivíduo pode entrar com processos para reaver seus recursos, ou para levar a empresa a terminar a obra. No entanto, considerando a lentidão de nosso sistema judicial, esse processo poderia durar anos.

Portanto, o melhor método para evitar essa dor de cabeça e garantir que de fato a empresa, responsável pela obra, conta com recursos o suficiente para cumprir seus compromissos.

Quando pensamos na construção de uma casa, é indispensável que ela atenda os critérios de conforto de seus proprietários. Por essa razão, é importante que a empresa responsável pela obra tenha uma via de comunicação eficiente com seus clientes, para garantir que o imóvel construído de fato terá a sua cara.

Agora que você sabe quais pontos analisar antes de optar por uma construtora em Itu, que tal ter acesso a uma empresa séria, que conta com profissionais altamente qualificados e com anos de experiência no mercado? Entre em contato conosco e descubra os diferenciais da Misorelli Engenharia!  

Confira 4 dicas de acabamentos para casas de luxo

Quando pensamos em um imóvel dos sonhos, é óbvio que fatores como beleza e elegância são muito importantes. Afinal, além de contribuir com a imagem da residência, o que tende a se refletir no status de seus donos, a composição de um espaço sofisticado valoriza o imóvel, fornecendo um retorno real para o investimento realizado. Nesse contexto, saber escolher acabamentos para casas de luxo é fundamental!

Isso acontece porque, quando usados de modo adequado, esses acabamentos complementam a obra, dando a ela o ar de elegância que seus proprietários desejam! A grande questão é, quais os melhores materiais para criar esse efeito?

Leia o artigo e descubra dicas 4 dicas de acabamentos para compor espaços mais bonitos e confortáveis!

1. Mármore

Existem muitos acabamentos bonitos, ideais para a elaboração de espaços harmoniosos e elegantes. Dentre eles, o mármore é um dos mais conhecidos e usados. Apesar de sua ampla utilização, essa pedra continua como uma tendência e promete compor os mais belos espaços luxuosos por muito tempo!

O mármore pode ser adotado em diversos projetos de decoração, como exemplos de seus usos, podemos citar os seguintes:

  • pavimento de pisos;
  • revestimento de paredes;
  • construção de bancadas;
  • edificação de pias.

2. Madeiras nobres

Em uma conversa a respeito de acabamentos para casas de luxo, é impossível não mencionar o uso de madeiras nobres. Afinal, o seu uso para pavimentar o piso, ou mesmo para forrar o teto, tem o potencial de criar cenários incríveis e aconchegantes. Dependendo do modo como o acabamento é utilizado, ele pode até mesmo criar espaços rústicos e propícios para eventos mais descontraídos, como festas e reuniões.

Antes de adquirir este item, porém, é importante que uma pessoa interessada em construir ou reformar um imóvel se informe a respeito de sua procedência. Esse cuidado é fundamental para o combate a graves problemas ambientais, como o desmatamento ilegal.

3. Porcelanato

Não é um exagero alegar que o porcelanato é um dos revestimentos mais belos e versáteis. Afinal, ele pode ser encontrado em diversas cores, o que abre espaço para que seja usado em todos os ambientes de uma casa, compondo o seu espaço com elegância e sofisticação.

É importante ressaltar, porém, que, além de belo, o porcelanato é resistente e pode ser limpo com muita facilidade, o que faz dele um dos acabamentos mais práticos para a elaboração de ambientes de luxo.

4. Vidros

O vidro pode ser descrito como um dos mais importantes acabamentos para casas de luxo. Dentre os fatores que motivam essa fama, está o modo como o material é capaz de otimizar a luz natural, propiciando a criação de espaços claros e aconchegantes. Um efeito que pode ser ressaltado por meio de películas arquitetônicas, que é um produto capaz de filtrar os raios UV, protegendo os moradores do imóvel de possíveis efeitos nocivos.

Além disso, é válido ressaltar que existem muitos tipos de vidro. O vidro com isolamento acústico, por exemplo, pode barrar até 40 decibéis em ruídos externos, uma característica que deixa a casa calma e silenciosa mesmo em regiões mais movimentadas.

Por fim, é importante ressaltar que acabamentos de qualidade costumam ter um preço mais elevado. Levando esse fato em consideração, é muito importante que sejam manuseados e implementados com o devido cuidado! Para evitar problemas, como danos, é necessário que sua instalação seja feita por empresas especializadas.

Agora você conhece 4 dos acabamentos para casas de luxo mais usados! Que tal receber mais conteúdo útil? Curta nossa página no Facebook e não perca nenhuma informação interessante!