5-elementos-que-nao-podem-faltar-no-projeto-de-uma-casa-sustentavel

5 elementos que não podem faltar no projeto de uma casa sustentável

Vai construir um imóvel? Que tal pensar em um projeto de casa sustentável? É uma forma de ajudar na preservação dos recursos naturais e, ainda, ter mais economia de gastos com energia e água, por exemplo.

Existem alguns elementos que, quando projetados desde o planejamento da sua obra, podem não aumentar tanto o custo da construção. Entre eles, podemos falar de aproveitamento de água, instalação de painéis fotovoltaicos, entre outros.

Quer saber o que não pode faltar em sua obra para que você tenha uma casa sustentável? Confira as nossas sugestões!

1. Painéis fotovoltaicos

Essa, provavelmente, é uma das primeiras coisas que vêm à mente quando falamos em casa sustentável. O aproveitamento da energia solar tem sido cada vez mais utilizado em obras residenciais. Por meio dos painéis fotovoltaicos, é feita a captação da energia, convertendo-a em eletricidade.

Com isso, além de abastecer a sua casa, você poderá, até mesmo, receber alguma compensação em créditos com a operadora de energia da sua cidade. Isso porque, em caso de sobra (se você gerar mais do que consumir), poderá contribuir com o abastecimento da sua cidade e a diferença será abatida das suas próximas contas de luz.

2. Torneiras com aerador

Há diversas formas de reduzir o desperdício no consumo de água em uma residência. Uma delas é a utilização dos aeradores nas torneiras. Com eles, a água sai em pequenos furos, exatamente como ocorre com os chuveiros. Assim, mesmo que você não perceba, menos líquido sai dos canos, sem atrapalhar o seu uso.

3. Sistema de armazenamento de água da chuva

Outra maneira de preservar esse recurso natural tão importante é aplicar sistemas de reuso da água. Você pode fazer isso por meio da captação da água da chuva. Calhas, tanques e cisternas instalados na casa cumprem essa função. O líquido armazenado pode ser usado para limpeza das áreas externas ou ser conectado à descarga dos vasos sanitários.

4. Vasos de acionamento duplo

Por falar neles, há uma forma simples de reduzir o desperdício de água nos banheiros. Trata-se da instalação de vasos sanitários com caixa acoplada e acionamento duplo dos botões. Um deles é usado para a limpeza de resíduos sólidos, dispensando mais água. O outro, com menor vazão, é para os resíduos líquidos.

5. Uso de materiais sustentáveis

Por fim, você pode fazer a opção por materiais mais sustentáveis a serem utilizados em sua obra. Reúna-se com o seu arquiteto e procure aqueles que respeitam o meio ambiente, como a madeira de demolição, proveniente de áreas de replantio. O bambu também é uma excelente alternativa nesse sentido.

Cada vez mais, o setor de construção oferece alternativas, como o cimento fabricado com base em resíduos da indústria, tijolos e telhas sustentáveis, entre outros. Na decoração também vale buscar tintas com componentes atóxicos ou naturais e por soluções inteligentes.

Seguindo as nossas dicas, o resultado do seu projeto será uma bela casa sustentável, que vai proporcionar conforto e economia para a sua família. Não deixe, porém, de conversar com os profissionais da construtora contratada para que os desperdícios também sejam evitados durante a obra.

O que achou das nossas dicas? Se você está planejando a construção da sua casa, confira nosso post que mostra as etapas de uma obra residencial.

paisagismo-na-frente-da-casa-4-dicas-para-decorar-a-fachada

Paisagismo na frente da casa: 4 dicas para decorar a fachada!

A decoração de um imóvel é determinante para que ele tenha a personalidade e o estilo de seus donos. Por isso, ela deve ser considerada em todos os detalhes desde o planejamento da sua construção. Nesse sentido, você não pode se esquecer de um ponto muito importante: o paisagismo na frente da casa.

Plantas, pedras, canteiros com flores coloridas, tudo isso pode ajudar a deixar a fachada do seu lar mais aconchegante, complementando o projeto arquitetônico da sua residência com harmonia. Quer algumas dicas para o planejamento do paisagismo no seu quintal? Confira as nossas 4 sugestões!

1. Defina o tamanho do espaço e seu objetivo

O passo mais importante para que o paisagismo na frente da sua casa tenha harmonia é a definição clara do seu objetivo. Será apenas um jardim ou o lugar será usado, também, como área de lazer, unindo espaços de convivência para a família e amigos?

Caso haja circulação de pessoas, é preciso planejar passagens seguras para elas, de modo que não afetem a saúde das plantas e do gramado, se for o caso. Você pode escolher revestimentos de madeira ou de pedra, dependendo do projeto e de como ele vai combinar com a fachada do imóvel.

É importante que não haja plantas com espinhos próximas de lugares onde as pessoas vão passar ou se sentar. Árvores são uma boa ideia para proporcionar um bom acolhimento em suas sombras.

Verifique, ainda nesse planejamento, se você usará plantas que precisam de muitos cuidados e se vai dispor de tempo para isso. Pense nos custos de manutenção do seu jardim e coloque-os em seu planejamento financeiro.

2. Escolha os tipos de plantas

Há pessoas que gostam mais do colorido das flores e outras que preferem as folhagens com diferentes tons de verde. Atender ao seu gosto pessoal é importante, mas você também deve considerar as condições em que as plantas serão condicionadas.

Assim, você deve analisar a incidência de sol, a circulação de ar e a umidade na frente de casa na hora de escolher as plantas que vão compor o seu paisagismo. Lembre-se, também, de que as árvores podem não combinar com o espaço se a fachada for muito pequena. Você pode substituí-las por arbustos ou espécies menores.

3. Planeje o local das plantas

A variedade, o tamanho e a quantidade de plantas que vão compor o seu jardim depende do espaço que será destinado a elas. Muitas vezes, em ambientes menores, é possível aproveitar os muros para fazer um jardim vertical. Gazebos e pergolados também são elementos interessantes para o paisagismo na frente de casa, sempre em harmonia com o seu projeto arquitetônico.

4. Cuide do solo adequadamente

Por fim, não se esqueça de que o solo deve receber uma preparação especial para o plantio e isso vai depender das espécies escolhidas para que elas tenham uma vida útil prolongada. Estudar quais são as plantas nativas do local onde fica a sua casa é uma boa ideia, pois sua preservação será facilitada.

Se o profissional que vai fazer o seu paisagismo perceber que a terra não é fértil, poderá ser necessário usar adubo. Outra sugestão é compor o ambiente com vasos, jardineiras e floreiras, onde você pode aplicar o tipo de terra adequado para as plantas que pretende ter em sua fachada.

Ao fazer o paisagismo na frente da casa, tenha em mente que será necessário manter os cuidados com as plantas periodicamente. O ideal é contar com um profissional para ajudar você nessa tarefa para a manutenção do local.

Gostou das nossas dicas? Está planejando a construção ou a reforma da sua casa? Siga as nossas páginas no Facebook, no Instagram e no LinkedIn para mais conteúdos como este!

como-aumentar-a-sua-casa-sem-atropelos

Como aumentar a sua casa sem atropelos? Veja 4 dicas!

Tem um bom terreno e deseja aumentar a sua casa, mas está preocupado com a magnitude dessa obra? Saiba que é possível ampliar o tamanho do imóvel, mas que essa mudança não é fácil e exige uma série de cuidados. O ideal é que a reforma seja feita com objetivos claros, como obter mais conforto, melhor iluminação e ventilação, aumentar a segurança, entre outros.

Ter um planejamento bem-feito e contar com a ajuda dos profissionais certos vai ajudar você a aumentar a sua casa sem atropelos. Quer saber como? Confira as dicas que separamos neste artigo!

1. Elabore um projeto

Entre aquilo que desejamos fazer e o que é possível, até que tudo seja executado, há uma grande distância. E só existe uma maneira de encurtá-la: chamar um bom profissional para ajudar você a fazer o projeto de ampliação da casa. É o planejamento feito com o arquiteto ou com um engenheiro que mostrará se é viável fazer o que você sonha, seja a criação de um closet, seja aumentar a cozinha, criar um cômodo a mais ou melhorar o espaço da sala.

Reúna sua família e o profissional para verificar quais são as reais possibilidades e o que vocês precisam fazer para alcançar os objetivos. Lembre-se de fazer um bom planejamento, considerando as necessidades de todos.

2. Fique atento à legislação

O terreno e a casa são seus, mas há algumas legislações que devem ser seguidas na hora de fazer qualquer mudança estrutural no imóvel. Essa é mais uma situação em que um profissional especializado será fundamental para ajudar você. Afinal, nem sempre estamos a par de todos os detalhes das leis do município sobre obras residenciais, não é mesmo?

Há muitas regras que devem ser seguidas sobre o aproveitamento do terreno, envolvendo gabaritos, recuos, taxas de ocupação, entre outras. Todas elas variam em cada município ou, até mesmo, no bairro onde está localizada a casa onde será feita a ampliação. Até mesmo quando a obra será realizada para aumentar os andares da casa é preciso verificar se a altura é permitida naquele local.

Deixar de analisar todos os detalhes da legislação pode causar sérios prejuízos para você. Afinal, se for pego pela fiscalização, a obra pode ser embargada. Além disso, você terá que pagar multas e lidar com uma série de transtornos.

3. Considere as instalações elétricas e hidráulicas

O profissional contratado para ajudar você no projeto deve considerar de forma estratégica essa ampliação, aproveitando da melhor maneira as instalações prévias, tanto de energia, quanto dos sistemas de água pluvial e esgoto. O ideal, nessa parte da obra, é que você não economize nos materiais utilizados.

Também é importante já pensar em como será a decoração, a disposição de móveis e eletroeletrônicos. Assim, poderá ser planejada de forma adequada a quantidade de pontos de energia e iluminação. Não se esqueça de que tudo isso (hidráulica e elétrica) passa por dentro das paredes, o que torna qualquer mudança posterior mais difícil.

4. Pense na iluminação natural e na ventilação

Por fim, ao fazer o projeto de ampliação da sua casa, não deixe de considerar dois fatores importantes: a iluminação e a ventilação. Tenha em mente que o novo cômodo não deve obstruir a luz natural do ambiente que será aumentado. Uma boa saída para isso é fazer estruturas que contemplem o uso de vidros e janelas amplas.

Seguindo essas dicas, temos certeza de que aumentar a sua casa fará com que você crie ambientes mais confortáveis e que atendam às suas necessidades. Não deixe de contratar uma construtora de confiança para ajudar nesse projeto, além de acompanhar a obra para verificar se ela está condizente com o que foi planejado.

Gostou das nossas sugestões? Se você está pensando em fazer uma obra, não deixe de ler, também, este artigo sobre autogestão de obras residenciais e aprender quais são os erros a serem evitados durante esse processo.

gerenciamento-terceirizado-obra-residencial

Como realizar o controle do orçamento de uma obra residencial?

O gerenciamento de uma obra envolve o conhecimento técnico sobre a construção e de suas etapas. Uma delas é em relação aos custos com a construção, fator determinante sobre prazo e qualidade.

O orçamento de obra residencial deve ser analisado desde o início para que todas as etapas sejam realizadas com o máximo desempenho, respeitando as especificações técnicas do projeto e sem estourar o orçamento previsto.

Gerenciar uma obra residencial é desafiador, por isso, conte com a ajuda especializada de uma construtora na sua região. Pois uma forma eficaz de garantir o acompanhamento da sua obra é terceirizando o serviço.

Veja, a seguir, como a terceirização do gerenciamento de obras pode ser útil para garantir a qualidade da sua residência. Confira!

Motivos para terceirizar o gerenciamento de obras

A construção de uma residência envolve várias etapas. A primeira delas é a realização de um projeto arquitetônico desenvolvido por um profissional com todas as vontades do cliente. Quando uma construção se inicia sem nenhum projeto como base, as chances de ocorrerem problemas durante a construção aumentam.

Entretanto, mesmo que um profissional desenvolva os projetos, durante a construção também é indicado que um profissional qualificado acompanhe toda a obra, para planejar a compra de materiais, uso de mão de obra, qualidade de acabamentos e muitos outros itens.

A terceirização do serviço de acompanhamento de obras é uma excelente opção para garantir o controle de orçamento, economizar nas compras de materiais e garantir que as especificações técnicas necessárias ao bom desempenho da obra sejam realizadas.

Ao contratar uma empresa qualificada, os profissionais contratados têm conhecimento técnico especializado e já estão acostumados a gerenciar obras, refletindo na qualidade e desempenho dela.

Veja algumas razões pelas quais a terceirização pode ser uma ótima ferramenta para reduzir os custos da sua construção.

Trabalhar com profissionais especializados

Boa parte do sucesso do planejamento se deve ao trabalho desenvolvido pelos profissionais. A terceirização do trabalho permite que vários profissionais experientes sejam responsáveis por repassar as informações sobre preços e prazos de forma mais certeira. Dessa maneira, o cronograma desenvolvido tem como base a experiência real de profissionais já acostumados a lidar com imprevistos que ocorrem numa construção domiciliar.

De acordo com a Lei 5.194/1996, no Brasil, apenas arquitetos e engenheiros civis têm atribuições para gerenciar obras e reformas.

Antecipar problemas e lidar com os imprevistos da obra

É comum ocorrer imprevistos durante a construção de uma residência. Os prazos de entrega de materiais podem não ser cumpridos, por exemplo, materiais podem não ser entregues corretamente, e todas essas pequenas interferências prejudicam outras etapas construtivas.

Uma construtora já consolidada no mercado tem cadastro de empresas parceiras que oferecem serviços de qualidade. Dessa forma, o cliente não precisa lidar com fornecedores. Pode parecer pouco, mas é cansativo e exige bastante tempo pesquisar preços, materiais e avaliar o custo-benefício de vários materiais necessários à construção de uma residência.

Controlar o desempenho do pessoal

Outro benefício alcançado quando existe o controle do planejamento de obras é analisar dados como o desempenho do pessoal. A equipe de trabalho é composta por diversas pessoas com conhecimentos diferentes. Toda a equipe é responsável pelo conjunto final da obra e por isso é bom fazer o acompanhamento da qualidade do trabalho, do tempo para a conclusão de tarefas e outros indicadores.

A empresa terceirizada já faz esse tipo de acompanhamento e análise, então, ela é capaz de indicar quais profissionais são os ideais para cada obra. Assim, os limites de custo e prazo são estabelecidos e tendem a ser respeitados.

Reduzir os custos previstos no orçamento

Geralmente, quando a construtora compra materiais em grande quantidade ela consegue um desconto dos fornecedores, que pode ser oferecido até mesmo pelo tempo de relacionamento. Quando o cliente compra sozinho, ele pode não ter acesso a esse tipo de desconto dado somente às construtoras.

Com tantos materiais a serem adquiridos, é importante contar com toda a ajuda disponível. As construtoras terceirizadas conseguem indicar materiais com bom custo-benefício e fazer compras planejadas, reduzindo o custo total do orçamento.

Controlar o estoque de materiais

Uma das partes do planejamento e controle do orçamento de obras envolve o controle de estoque dos materiais. Essa talvez seja uma das partes mais importantes, devido ao alto custo que cerca a compra dos insumos.

Assim como a compra dos materiais utilizados, é importante saber armazenar os materiais recebidos no canteiro de obras para que eles não estraguem. Um exemplo é o cimento, que deve ser armazenado em local seco e arejado. Quando esse material é colocado em algum lugar úmido, ele pode estragar, já que a reação entre o cimento e a água acontece antes do planejado e prejudica o seu desempenho na estrutura.

Esse tipo de comportamento já é previsto pelas construtoras especializadas em gerenciamento de obras. Então, além do cuidado em armazenagem e estocagem, elas também fazem o gerenciamento para que não falte materiais na obra e os colaboradores fiquem parados sem insumos suficientes à realização de suas tarefas.

Garantir o cumprimento das etapas do projeto

É indicado que, durante o desenvolvimento de uma obra, ela seja visitada pelo profissional responsável pelo menos uma vez ao dia. Assim ele acompanha o desenvolvimento do trabalho e do serviço prestado. Durante a semana, pode ser difícil para o cliente reservar horário para verificar a obra, então, o mais indicado é ter a ajuda de uma construtora especializada em gerenciamento de obras para que ela consiga desenvolver o trabalho.

Gerenciar uma obra residencial pode ser complicado para quem não tem experiência no assunto. Por isso, o mais indicado é realizar o controle do orçamento de obra residencial com a ajuda de uma construtora em Itu especializada nesse tipo de serviço.

Procure por uma empresa com relevância no segmento de construção na sua região. Você pode visitar obras já realizadas pela construtora e conversar com seus antigos clientes para ter uma melhor ideia do serviço prestado. Essas informações são relevantes para escolher a construtora que melhor se enquadre nas suas expectativas.

Quer construir mas não sabe por onde começar? Entre em contato conosco e veja como a nossa construtora pode te ajudar!

como-ter-uma-boa-gestao-de-obras-e-escolher-construtora-em-itu

Como ter uma boa gestão de obras e escolher construtora em Itu?

O planejamento é essencial para uma gestão de obras eficiente, mas, no Brasil, pouco se investe nessa fase dos projetos. Por esse motivo, o que pode-se observar são custos excessivos, superfaturamento ou baixa qualidade, com a subutilização dos recursos disponíveis.

Além disso, é preciso contar com a parceria de profissionais qualificados, que possam receber a credibilidade e a autonomia necessárias para dar andamento aos projetos e executar a obra nas mesmas condições planejadas.

Neste artigo, trataremos exatamente dos fatores que muitas vezes não são considerados, mas que têm grande influência nos resultados dos projetos e podem ser decisivos para uma gestão de obras eficiente. Confira!

Organize as etapas do projeto

No planejamento inicial é necessário considerar todas as etapas relacionadas ao projeto:

  • fundação;
  • estrutural;
  • hidráulica;
  • elétrica;
  • arquitetônico;
  • ambiental etc.

Materiais, mão de obra e serviços terceirizados precisam ser estudados nesse momento. Tudo deve ser documentado, temporizado e distribuído aos profissionais responsáveis, para que a execução obedeça uma sequência ininterrupta e não crie gargalos entre as fases do projeto.

Cumpra os prazos acordados

Para conseguir cumprir com os prazos o primeiro passo é estabelecer metas. Isso ajuda a manter o foco nos objetivos, creditar aqueles que se empenharam para conquistá-las e avaliar o que pode ser realizado para minimizar fatores que geram atrasos, como mão de obra onerosa e falta de material.

Esse requisito também exige certo planejamento, uma vez que é preciso vislumbrar um resultado em longo prazo para que as metas sejam devidamente estabelecidas. O método SMART (Specific, Mensurable, Achievable, Realistc e Time-based) é uma ferramenta muito eficiente para esse objetivo.

Por meio dele o gestor ou engenheiro responsável pela obra pode estabelecer metas mais específicas, mensuráveis, realistas, realizáveis e em tempo hábil para viabilizar resultados mais efetivos.

Esses objetivos devem ser a principal referência para a gestão de obras, já que reduzem os atrasos que tanto prejudicam a credibilidade dos profissionais e da construtora responsável pelo projeto. Também é necessário que elas sejam constantemente monitoradas por meio de KPIs (Key Performance Indicator).

Mantenha o controle do orçamento

Controlar o orçamento de uma obra não é fácil, mas os valores gastos sempre devem estar próximos do que foi calculado inicialmente. Por isso, é preciso organizar e lançar em um sistema de gestão ou planilha todos os custos ou receitas do projeto.

Nesses softwares é possível criar gráficos e relatórios personalizados que revelam especificidades da obra e ajudam a analisar os dados lançados para uma tomada de decisão mais acertada.

Por meio desse fluxo de caixa, por exemplo, é possível acompanhar se os resultados estão de acordo com o investimento realizado até aquele momento. Gargalos também são identificados, como gastos excessivos com determinado material que apontam uma má escolha entre fornecedores.

Além disso, o sistema pode fornecer uma visão geral acerca dos prazos e das obrigações que precisam ser cumpridas, como o pagamento de boletos e a necessidade de materiais e serviços de terceiros, evitando imprevistos e problemas de cunho financeiro.

Promova a redução de custos

Assim como controlar o orçamento, a redução de custos também exige habilidade e é de suma importância para uma boa gestão de obras. Afinal, não adianta fazer planejamento financeiro e não conseguir cumprir com o que foi planejado. Além disso, o que puder ser otimizado sempre agrega mais nos resultados do projeto.

Uma forma de reduzir os custos da obra é comprar com eficiência. Algumas empresas concedem bons descontos àqueles que adquirem volume maior de material. Mas essa quantidade deve estar de acordo com o planejado, para não exceder o orçamento previamente estabelecido nem acarretar perdas.

O estudo da necessidade de mão de obra também é importante. Contratar por empreitada pode ser a melhor opção para aqueles que planejam os custos em seus mínimos detalhes. Além disso, quanto mais cedo for a identificação de uma demanda, principalmente se isso envolver o trabalho de equipes terceirizadas, mais fácil será encontrar profissionais competentes para aquele serviço.

A contratação de profissionais qualificados também significa a redução de custos, uma vez que está associada à eficiência e à produtividade no canteiro de obras.

Outra forma de reduzir os custos da obra é atentar para o armazenamento adequado dos materiais. Uma acomodação sem critério pode acarretar na compra de material sobressalente, prejudicar a qualidade dos produtos ou uma perda significativa que onere o fluxo de caixa.

Faça a gestão de suprimentos

Durante as obras não é viável que o trabalho fique paralisado por falta de material. Essa ociosidade gera custos para o empreendimento e compromete a produtividade dos trabalhadores quando eles retomam o serviço.

Para impedir esse gargalo, é preciso que os materiais já estejam disponíveis quando a obra começar, pelo menos para a primeira fase do projeto. À medida que a obra evolui, o gestor pode estabelecer um critério para a aquisição de mais material, uma quantidade mínima, por exemplo, que quando alcançada justifica a solicitação de mais uma ordem de compra para o setor responsável.

Conte com a tecnologia

A tecnologia tem evoluído para atender as mais variadas demandas na construção civil. Além do sistema de gestão já citado, existem, por exemplo, impressoras 3D que criam materiais utilizados e drones, que realizam a medição da área, fazem o monitoramento das atividades ou a inspeção térmica da estrutura.

Além das ferramentas, materiais cada vez mais inovadores já fazem parte de vários projetos, como o bioconcreto e o concreto inteligente, que são capazes de recuperar suas próprias rachaduras, ou o aerogel, uma das substâncias que suporta até 45 mil vezes seu próprio peso e tem poder isolante até 4 vezes maior que a fibra de vidro ou a espuma.

Tenha um canal de comunicação integrado

A comunicação no canteiro de obras também deve ser eficiente. Ferramentas que integram todos os setores — planejamento, compras, profissionais etc., ajudam a reduzir os gargalos que podem surgir pela falta de informação, aquisições de materiais sobressalentes ou faltantes, por exemplo.

Além disso, é necessário que os clientes estejam bem informados sobre o andamento do projeto, principalmente quando os imóveis são adquiridos na planta. Essa sensação de pertencimento aumenta o comprometimento no pagamento das parcelas e ajuda a aumentar a credibilidade da incorporadora no mercado.

Priorize a segurança no trabalho

Os riscos da obra e os acidentes de trabalho também podem impactar diretamente na credibilidade do projeto. Durante a gestão de obras, é de suma importância prezar pelas medidas que aumentam a segurança dos profissionais na execução do serviço.

É preciso monitorar continuadamente o canteiro de obras e não permitir, em nenhuma hipótese, que qualquer atividade seja exercida sem os equipamentos de proteção individuais (EPIs).

Preze pela sustentabilidade

A sustentabilidade também é uma questão fortemente considerada nos dias atuais. O projeto deve priorizar, por exemplo, a ventilação e iluminação natural no ambiente, para aumentar a eficiência do uso de energia elétrica nas edificações e a gestão ecológica da água, com opções que viabilizam a coleta da água da chuva.

Outra forma de promover a construção verde é buscar soluções que potencializem o uso racional de energia ou viabilizem fontes de energias renováveis, como a energia solar. Os projetos também podem prezar pela redução do uso de materiais de alto impacto ambiental e da produção de resíduos durante a construção, por meio da modulação de componentes que diminuam as perdas ou potencializem a reutilização de materiais.

É possível construir “tetos verdes”, hortas e espaços coletivos, ruas e caminhos que privilegiem a acessibilidade universal, utilizar de dispositivos economizadores de água, por exemplo.

Boas práticas na gestão de obras, baseadas nos pilares da eficiência — baixo custo, qualidade e tempo de execução, podem otimizar o investimento, aumentar a satisfação dos usuários e a credibilidade da empresa no mercado.

Uma construtora experiente pode auxiliar na gestão de obras de forma a garantir que todos os processos sejam viabilizados com essa eficácia. Entre em contato com a Misorelli e veja como a melhor construtora em Itu pode ajudar no seu projeto!