como montar uma galeria comercial

Veja como montar uma galeria comercial seguindo 4 passos

Com a economia voltando a dar sinais de crescimento, e o mercado imobiliário apresentando cenários promissores, a ideia de investir em imóveis tem ganhado cada vez mais espaço na cabeça dos brasileiros. Nesse contexto, saber como montar uma galeria comercial é de suma importância!

Isso ocorre porque, para abrir uma galeria, o investidor precisa construir ou adquirir um bem imobiliário, que, em caso de necessidade, pode ser vendido ou usado como garantia. Além disso, esse tipo de negócio costuma oferecer margens elevadas, o que faz dele uma aplicação interessante!

A grande questão é, quais os procedimentos que o investidor precisa seguir para começar a fazer parte desse mercado? Continue a leitura e descubra como abrir uma galeria comercial em 4 passos simples!

1. Escolha o ponto adequado

O primeiro passo a ser dado, para que uma galeria comercial se torne bem-sucedida, é encontrar o local mais adequado para edificá-la. É preciso levar em consideração que os inquilinos da galeria, sejam eles lojistas ou profissionais liberais, precisam de um bom ponto. Ou seja, de um local visível e acessível para seus clientes.

Caso a galeria não conte com tais características, seu dono pode ter dificuldades em alugar suas lojas e salas comerciais. Por esse motivo, é interessante que o imóvel seja construído em uma área movimentada, com um grande deslocamento de pessoas.

2. Busque autorizações com as organizações responsáveis

Uma vez que o ponto ideal foi definido, o passo seguinte consiste em buscar, com os órgãos responsáveis, as autorizações necessárias para que a obra seja executada. Esse cuidado se faz necessário para garantir que regulamentações importantes, pertinentes ao projeto de urbanização da cidade, preservação ambiental e até mesmo de segurança estejam sendo seguidas.

Caso uma pessoa comece a construção antes de receber a autorização, a obra pode ser embargada por fiscais da prefeitura, o que tende a ocasionar uma série de problemas, como multas e sanções.

3. Contrate profissionais qualificados

Uma vez que todas as autorizações foram conquistadas, o passo seguinte consiste na seleção dos trabalhadores responsáveis pela obra em si. Essa é uma das etapas mais importantes, afinal, caso os profissionais não sejam competentes, a obra pode sofrer com problemas como atrasos e desperdício de matérias.

Para que esta situação seja evitada, é importante que o responsável pela obra pesquise o histórico de todos os profissionais envolvidos no projeto. Conversar com outras pessoas que já contrataram seus serviços é uma atitude inteligente.

Esse é um dos cuidados mais importantes que uma pessoa que deseja saber como montar uma galeria comercial deve tomar.

4. Invista em divulgação

Por mais bem localizada que seja uma galeria comercial, é importante que boas práticas de marketing e divulgação sejam adotadas. Esse cuidado é necessário para manter o fluxo constante de clientes.

Nesse contexto, é válido ressaltar que o uso de ferramentas digitais, como as redes sociais, é de suma importância. Afinal, por meio delas os responsáveis pela galeria são capazes de ter uma comunicação mais efetiva com os clientes, passando para eles informações importantes, como promoções em lojas.

Essa comunicação também permite que o responsável pela galeria receba feedbacks sobre meios de tornar seu ambiente mais agradável para o consumidor, o que tende a atrair e reter um número maior de clientes.

Embora a galeria seja um negócio lucrativo, sua construção tende a ser uma tarefa complicada para pessoas sem a devida experiência. Nessa situação, contar com uma construtora tende a ser uma ótima opção.

Isso ocorre porque, ao terceirizar a obra, seu proprietário pode contar com os serviços de uma empresa altamente especializada na gestão e elaboração de construções, o que lhe permite evitar problemas, como prejuízos e acidentes.

Agora que você sabe como montar uma galeria comercial, que tal receber mais informações interessantes, como essas? Assine nossa newsletter e continue a receber conteúdos relevantes!

credito imobiliario para construção

Crédito imobiliário para construção: entenda como funciona e como obter

Dentre os sonhos dos brasileiros, conquistar um imóvel próprio, projetado e construído para atender todas as suas necessidades, costuma ser um dos mais recorrentes. Infelizmente, não são poucas as pessoas que consideram esse objetivo um alvo distante, o que não corresponde à verdade. Por meio de ferramentas, como o crédito imobiliário para construção, o imóvel ideal deixa de ser um sonho e se torna uma realidade acessível.

Para ter acesso a essa ferramenta, porém, é necessário entender como ela funciona e aprender a respeito dos requisitos que tornam uma pessoa elegível, para fazer uso dela.

Você gostaria de ter acesso ao crédito imobiliário para construção? Leia o artigo, descubra como ele funciona e entenda os procedimentos necessários para obtê-lo!

Afinal, o que é crédito imobiliário?

O crédito imobiliário pode ser descrito como uma quantia, disponibilizada por instituições financeiras, para financiar a construção, reforma ou aquisição de imóveis próprios. Ao receber esse crédito, o indivíduo se compromete a quitá-lo, em um período previamente estabelecido, acrescido de uma determinada taxa de juros.

Via de regra o imóvel, ou o terreno em que ele será construído, é usado pela instituição financeira como uma garantia, para evitar ter prejuízos na operação.

Embora o crédito seja uma ferramenta útil para a edificação de um imóvel, é necessário levar em consideração que as condições, oferecidas pelas diversas instituições financeiras, tendem a variar. Portanto, é interessante que o indivíduo pesquise e realize diferentes simulações, antes de assinar um contrato.

Como obter um empréstimo para construir um imóvel?

O primeiro passo a ser dado, por uma pessoa que deseja receber crédito imobiliário para a construção de um imóvel, é acessar os sites de diferentes instituições financeiras e realizar simulações de financiamento. É válido ressaltar que o saldo do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser utilizado para abater prestações do empréstimo.

Assim que a pessoa interessada em construir o imóvel identifica a melhor opção de financiamento, ela deve enviar à instituição financeira os documentos, requeridos por ela, para fazer uma análise de crédito.

Nessa etapa do processo, profissionais liberais e autônomos costumam ter dúvidas sobre como comprovar renda, pois não trabalham de carteira assinada. O que não é problema para eles, afinal, a confirmação de renda pode ser feita por meio de extratos bancários, contratos de prestação de serviço e até mesmo por meio da declaração do Imposto de Renda.

Por fim, assim que o empréstimo é aprovado pela instituição financeira, um contrato é assinado e o indivíduo recebe os recursos para construir seu imóvel. A partir deste momento, ele precisa cumprir as condições estabelecidas no contrato, pagando todas as parcelas, taxas e tributos previstos no documento.

Mudanças no crédito imobiliário para construção

Com a finalidade de aquecer o setor de construção civil, que emprega um grande número de pessoas, o Governo Federal adotou algumas medidas para facilitar a liberação de crédito imobiliário.

Dentre essas medidas, podemos citar a nova linha de crédito, disponibilizada pela Caixa Econômica Federal, que indexa a taxa de juros do crédito ao IPCA. Uma medida que, graças aos indicadores econômicos que o Brasil tem apresentado, torna o crédito mais barato para o tomador do empréstimo.

Embora a Caixa seja um banco público, a nova linha de crédito deve ser adotada por instituições privadas também. O Bradesco já sinalizou que no momento está estudando como implementar a nova modalidade de financiamento imobiliário.

As linhas de crédito tradicionais também devem se tornar mais acessíveis e econômicas. Um dos primeiros passos dados nessa direção foi dado pelo Banco do Brasil, que recentemente anunciou que vai calcular sua taxa de juros de acordo com tempo do financiamento, oferecendo taxas menores para contratos de crédito mais curtos.

É importante ressaltar que a nova linha de crédito, atrelada ao IPCA, foi criada com a finalidade de fornecer, a qualquer pessoa interessada em construir um imóvel, mais opções de financiamento. Cabe a ela analisar os benefícios e deméritos, tanto da nova linha de crédito quanto da tradicional, e assim optar pela que melhor atende suas expectativas.

Agora que você entende como funciona o crédito imobiliário para construção, é importante conhecer os documentos necessários para realizar a obra. Leia este artigo e tenha acesso a esse conhecimento!

mercado imobiliario

O que esperar do mercado imobiliário de São Paulo para 2020

Por mais que novas opções e modalidades de investimento surjam no Brasil, quando o assunto é aplicações favoritas, os brasileiros ainda preferem o mercado o imobiliário. Isso ocorre porque, por mais que flutuações econômicas ocorram, o imóvel continua a ter valor, o que pode ser considerado uma grande vantagem.

Apesar de seus benefícios, como qualquer investimento, o mercado imobiliário exige atenção do investidor, que precisa compreender suas particularidades e também prever possíveis cenários futuros, tanto de valorização quanto de desvalorização.

Levando em consideração a importância de contar com uma fonte confiável de informações, resolvemos elaborar esse conteúdo com indicações mais precisas a respeito do panorama esperado para o mercado imobiliário de São Paulo, um dos mais fortes do Brasil, para 2020. Continue a leitura e descubra o que esperar do preço dos imóveis no próximo ano!

Panorama atual do mercado imobiliário

Para compreender de forma mais completa o cenário futuro de um mercado, o investidor precisa primeiro entender o momento pelo qual ele passa no presente. Essa lógica deve ser aplicada a todos os tipos de aplicação, de modo que nem mesmo o mercado imobiliário é uma exceção a esta regra.

Segundo os dados apurados por uma pesquisa realizada pela CBIC (Câmara Brasileira de Indústria e Construção), tanto o número de lançamentos de projetos imobiliários quanto o número de vendas de novos imóveis apresentaram um aumento considerável no segundo trimestre de 2019, um fato que se torna ainda mais claro quando comparamos os novos dados com aqueles que foram apurados no mesmo período de 2018.

Segundo a pesquisa realizada pela CBIC, o número lançamentos imobiliários chegou ao valor de 30.607 edificações, números estes que na prática representam um crescimento real de 11,8% no número de novas construções. É importante levar em consideração que a mesma pesquisa apontou que as vendas de imóveis cresceram 16%, chegando ao total de 32.813 imóveis vendidos.

Analisando esses números, apresentados pelo mercado imobiliário, é fácil perceber que a demanda por novas edificações, atualmente, é maior do que a oferta disponível, o que acaba criando um ótima oportunidade para novos investimentos. Esse fato tende a ficar ainda mais claro quando observamos o número total de imóveis disponíveis no Brasil.

Estoque de imóveis no Brasil

A CBIC considera como em estoque todas as edificações que estão na planta, acabaram de ser construídas e até mesmo aquelas que ainda estão sendo edificadas. Mesmo incluindo todos esses tipos de construções, porém, o número de imóveis disponíveis no Brasil caiu 8,7%, chegando ao total de 111.055 unidades.

Se a demanda atual se manter, serão necessários apenas 11 meses para que o estoque seja zerado. Levando em consideração que no mesmo período de 2018 o tempo necessário ficaria em torno de 13 meses, é possível perceber o quanto o mercado está aquecido.

Esta realidade é ainda mais forte no Sudeste, principalmente no Estado de São Paulo, o que, na prática, indica que mercado imobiliário, tanto para a cidade de São Paulo quanto para o Estado, tende a apresentar ótimas oportunidades para investidores no próximo ano.

Projeções para o mercado imobiliário em 2020

Neste novo cenário, em que a demanda por novos imóveis é muito maior do que a oferta, é possível chegar à conclusão de que o preço, para todos os tipos de imóveis, deve aumentar no próximo ano.

Além da atual oferta e demanda, alguns outros fatores tendem a aumentar o número de negociações imobiliárias. Dentre esses fatores, podemos citar a nova linha de crédito, criada pelo governo, atrelada ao IPCA. Segundo estimativas da CBIC, apenas essa linha de crédito já tem o potencial de injetar R$ 10 bilhões no mercado. Se somarmos a esse valor recursos do FGTS, o montante disponível para a aquisição de residências aumentará ainda mais.

Uma notícia que tende a agradar proprietários, que terão a oportunidade de ver o valor de seus imóveis crescendo, e também a investidores, que têm a sua disposição uma nova oportunidade para auferir lucros. É importante que o investidor leve em consideração, porém, que, assim como as demais aplicações, o mercado imobiliário tem suas próprias regras. E que deixá-las de lado pode gerar uma série de prejuízos.

Dicas para se investir em imóveis

O investidor que deseja ser bem-sucedido no mercado imobiliário precisa lidar com uma série de fatores. Dentre eles, podemos citar os seguintes.

Analise as diversas opções

Em primeiro lugar, o investidor que deseja aplicar seus recursos no mercado imobiliário precisa definir exatamente em qual área ele pretende aplicar. Afinal, existem diversos tipos de imóveis, cada um deles voltado para uma necessidade específica.

Por exemplo, caso o investidor sinta mais confiança em lidar com empresários, ele pode construir galpões, utilizados para a alocação de produtos, ou mesmo comprar uma sala comercial, que pode ser alugada para uma empresa.

Caso ele se sinta mais confortável lidando com a pessoa física, porém, o investidor tem a possibilidade de comprar um apartamento e até mesmo de construir uma casa.

Escolha o ativo de forma adequada

Uma vez que o investidor escolheu o tipo de negociação que mais lhe agrada, ele precisa adquirir o imóvel em uma região em que ela de fato seja possível. Digamos que ele opte por construir um galpão comercial, edificá-lo perto de rodovias é uma boa ideia, pois isso facilita a movimentação de cargas, o que agrada e atrai empresários.

Caso ele decida construir uma casa, porém, realizar a construção em um bairro mais calmo, próximo a comércios e a áreas de lazer, tende a ser um meio eficaz para atrair bons inquilinos.

Na prática, isso significa que o investidor precisa adquirir o imóvel em uma área que seja de interesse do seu público-alvo.

Por fim, é válido ressaltar que, caso o investidor opte por construir um imóvel, contar com os serviços de uma construtora é uma ideia inteligente. Isso ocorre porque administrar os processos que envolvem uma obra é uma tarefa complexa, que demanda tempo e experiência.

Sem ter esses requisitos, é bem provável que o investidor tenha uma série de problemas, como atrasos na construção e prejuízos com o desperdício de materiais.

Agora que você tem uma noção mais clara de como será o mercado imobiliário para São Paulo em 2020, gostaria de contar com os serviços de uma construtora altamente especializada para construir seu imóvel? Entre em contato conosco e descubra os diferenciais da Misorelli Engenharia!

piscina com borda infinita

Saiba quais são as vantagens da piscina com borda infinita para sua casa

Imaginar a casa própria dos sonhos é uma atividade comum para muitos brasileiros. Afinal, poucas coisas são tão prazerosas para uma pessoa do que pensar em cada item que uma casa, construída de acordo com seu perfil, deveria ter. Dentre esses itens, uma piscina com borda infinita costuma estar presente.

Isso ocorre porque, além de ser muito bonita, esse tipo de piscina tem o potencial de conceder a uma casa um ar mais elegante, o que pode até mesmo se refletir de modo positivo em seu preço, valorizando-o!

Você gostaria de aprender novas informações sobre a piscina com borda infinita e assim descobrir quais as vantagens dela para sua casa? Leia o artigo e tenha acesso a esse conhecimento!

Design único

Quando pensamos em nosso imóvel ideal, é natural querer dar a ele características que nos agradam, para que ele de fato tenha a nossa cara. Neste contexto, investir em um design próprio, alinhado a seus gostos, tende a ser boa uma opção para uma pessoa que deseja construir um lar confortável.

Uma piscina com borda infinita é capaz de embelezar o ambiente, compondo com a área externa uma imagem única para uma casa, concedendo ao imóvel uma atmosfera singular, exclusiva.

Composição de ambiente

Ao fornecer à piscina um design único, o proprietário de uma casa é capaz de destacar seu imóvel. Mas é necessário ressaltar que ele pode ir muito além, utilizando a piscina para compor um ambiente mais agradável para ele e sua família.

Para ser bem-sucedido nessa tarefa, o proprietário precisa elaborar um projeto de decoração utilizando a piscina como o ponto inicial. A partir desse ponto, ele deve, então, escolher os demais itens, como os móveis, de uma maneira que realcem a beleza do ambiente, destacando ainda mais a piscina com borda infinita e sua vista.

Otimização de espaço

Não são raras as situações em que o espaço, disponível para construir, é escasso. Em uma situação como essa, fazer uso de estratégias, que dão aos moradores de uma casa a sensação de que eles contam com mais espaço do realmente têm, costuma ser uma boa ideia.

Esse conceito é muito utilizado, por exemplo, no estilo de arquitetura asiático. É importante ressaltar, porém, que ele também pode ser usado em uma piscina. Ao construir as bordas de um modo que elas aparentam não ter fim, o proprietário está criando esta sensação de espaço, o que torna o ambiente muito mais confortável tanto para ele quanto para sua família.

Água em movimento

Uma característica marcante desse tipo de piscina é que suas águas estão em constante movimento. Uma atividade que, além ajudar a piscina a fornecer um ar mais relaxante, como o de uma praia, ainda é útil para evitar problemas, como a proliferação de insetos.

É importante que o proprietário da casa leve em consideração, porém, que essa movimentação é feita por um motor elétrico e seu uso tende a aumentar as contas de energia elétrica. Um meio de reduzir, e até de eliminar esse custo, porém, é investir em dispositivos para a captação e o uso da energia solar.

Embora a piscina seja uma das características mais marcantes de uma casa, ela não tira a importância de outros pontos, que são fundamentais para que os moradores de fato se sintam confortáveis. Dentre esses pontos, podemos citar a área de lazer!

Agora que você entende as vantagens que uma piscina com borda infinita pode trazer para sua casa, gostaria de descobrir como criar uma área de lazer incrível e deixar seu imóvel ainda mais confortável? Leia este artigo e descubra como obter sucesso nesta tarefa!

quanto custa construir uma casa

Descubra agora mesmo quanto custa construir uma casa

Antes de ter acesso ao tão sonhado imóvel próprio, saber quanto custa construir uma casa é fundamental. Afinal, é com base nesta informação que a pessoa, interessada em construir uma residência, será capaz de elaborar uma estratégia e assim realizar seu sonho!

É necessário levar em consideração, porém, que o custo de uma construção está atrelado a diversos fatores, o que torna complexa a tarefa de calculá-lo de modo exato. Pensando neste problema, resolvemos criar um conteúdo com informações mais completas a respeito deste assunto, para servir como um guia.

Você gostaria de saber quanto custa construir uma casa? Continue a leitura e descubra a resposta para essa pergunta!

Fatores que influenciam o custo de uma obra

Uma vez que o preço final de uma construção tende a variar, de acordo com uma série de fatores, é importante que a pessoa, interessada em construir um imóvel, conheça os motivos que influenciam tal flutuação de preços. Por meio dessas informações, é possível prever custos e, tomando os cuidados adequados, até mesmo reduzi-los.

Entre os principais responsáveis pelo custo final de uma obra, podemos citar os seguintes:

Projeto

Um dos principais fatores a compor o custo de uma obra é sua arquitetura, e isso vai muito além dos gastos necessários para se contratar um profissional habilitado e experiente. A questão é que a arquitetura de um imóvel define seu projeto, ou seja, tudo o que precisa ser construído.

É interessante levar em consideração que mesmo edificações, que compartilham o mesmo número de andares e de metros quadrados, podem ter um custos finais diferentes, isso graças a detalhes como o número de cômodos. Portanto, antes de começar uma obra, é importante analisar se o projeto é adequado para o orçamento disponível.

Materiais

Outro ponto que influencia diretamente o custo de uma obra é o tipo de material escolhido pelo proprietário para construir o futuro imóvel. Isso ocorre porque existe uma grande variação de preços entre os produtos para construção e os principais acabamentos disponíveis no mercado.

Neste contexto, o tamanho da casa também deve ser levado em consideração. O que motiva esse fato é a simples questão de que, quanto maior um imóvel, mais materiais serão necessários para construí-lo.

Portanto, é importante que a pessoa interessada em construir um imóvel pesquise bem os preços dos materiais de construção e defina, para o imóvel, um tamanho que lhe ofereça o conforto necessário, mas isso sem extrapolar o orçamento disponível.

Tipo de terreno

Quando pensamos em quanto custa construir uma casa, a área do terreno, com toda a certeza, é um dos fatores mais importantes. Afinal, ele é justamente o lugar em que a obra deve acontecer.

Além de levar em consideração os custos para aquisição do terreno, que devem ser somados ao valor final da casa, é importante analisar possíveis gastos para prepará-lo para a construção. Por exemplo, caso o terreno apresente irregularidades, ele precisa ser aplainado, ou então um investimento mais alto na obra, para realizar a fundação, precisará ser feito.

Custo de mão de obra

O custo de mão de obra corresponde aos gastos necessários para se contratar os profissionais responsáveis pela construção, como engenheiros, arquitetos e pedreiros. Mais do que simplesmente o salário destes profissionais, porém, é importante considerar sua experiência, qualificação e renome no mercado.

Afinal, de nada adianta contratar um profissional que cobre pouco, mas ofereça um serviço de baixa qualidade.

Custo por metro quadrado em uma obra

Embora conhecer os fatores que influenciam o custo de uma obra seja de suma importância para definir quanto custa construir uma casa, unir todas essas informações e chegar a um orçamento pode ser difícil. Para simplificar esta tarefa, felizmente, podemos contar com uma série de ferramentas, como o SINAPI e o CUB. Continue a leitura e conheça melhor os seus benefícios.

SINAPI

O SINAPI pode ser descrito como um dos índices do IBGE. Ele foi criado com a finalidade de refletir o custo de construção, por metro quadrado, em cada um dos estados do Brasil. Entre os seus principais benefícios, podemos citar sua precisão, afinal, o índice é ajustado mensalmente.

CUB

O CUB, por sua vez, é o índice elaborado pela CBIC (Câmara Brasileira de Indústria de Construção). O índice foi instituído com a finalidade de apontar, de forma precisa, o custo médio de construções em cada região e estado do Brasil. Ele aponta tanto os custos com obras residenciais quanto comerciais.

Orçamento de obra

Por mais que ferramentas como o SINAPI e o CUB sejam eficientes, não é possível contar apenas com elas para definir quanto custa construir uma casa. Isso ocorre porque, como já foi citado no artigo, o preço de uma construção tende a variar de acordo com uma série de fatores.

Por esse motivo, para que um orçamento eficiente e realista seja elaborado, o auxílio de profissionais, como um engenheiro ou um arquiteto, é indispensável. É até possível que uma pessoa, sem os devidos conhecimentos, tente realizar esta tarefa. O problema é que, dadas as dificuldades que ela apresenta, as chances de que erros sejam cometidos são bastante elevadas, o que pode acarretar uma série de atrasos e prejuízos.

Por que contar com o auxílio de uma construtora

Embora um profissional capacitado, como um engenheiro ou um arquiteto, já seja qualificado o bastante para preparar um orçamento e administrar a obra, a supervisão do futuro proprietário do imóvel ainda é importante. O problema é que, muitas vezes, o proprietário não conta com conhecimentos suficientes para fiscalizar a obra, ou para passar ao responsável sua visão do imóvel, o que pode prejudicar o resultado final.

Neste contexto, recorrer ao auxílio de uma construtora costuma ser a melhor opção. Isso ocorre porque, via de regra, essas empresas já contam com pessoal qualificado para conversar com o cliente e entender seus objetivos e necessidades, o que lhes permite preparar um projeto adequado ao perfil dos moradores do imóvel.

Além disso, a construtora tem mais experiência em lidar com questões de cunho burocrático, como a emissão de autorizações junto a prefeitura. Por fim, é válido ressaltar que deixar a gestão da obra com uma empresa com expertise nessa área tende a reduzir tanto o desperdício de materiais quanto o tempo necessário para construção, pois ela é capaz de prever e eliminar problemas que poderiam atrasar a obra.

Agora que você sabe como definir quanto custa construir uma casa, e entende os meios que tornam a obra mais eficiente, gostaria de contar com os serviços de uma construtora altamente especializada, conhecida no mercado pela qualidade de seus serviços? Entre em contato conosco e descubra os diferenciais da Misorelli Engenharia!