como-ter-uma-boa-gestao-de-obras-e-escolher-construtora-em-itu

Como ter uma boa gestão de obras e escolher construtora em Itu?

O planejamento é essencial para uma gestão de obras eficiente, mas, no Brasil, pouco se investe nessa fase dos projetos. Por esse motivo, o que pode-se observar são custos excessivos, superfaturamento ou baixa qualidade, com a subutilização dos recursos disponíveis.

Além disso, é preciso contar com a parceria de profissionais qualificados, que possam receber a credibilidade e a autonomia necessárias para dar andamento aos projetos e executar a obra nas mesmas condições planejadas.

Neste artigo, trataremos exatamente dos fatores que muitas vezes não são considerados, mas que têm grande influência nos resultados dos projetos e podem ser decisivos para uma gestão de obras eficiente. Confira!

Organize as etapas do projeto

No planejamento inicial é necessário considerar todas as etapas relacionadas ao projeto:

  • fundação;
  • estrutural;
  • hidráulica;
  • elétrica;
  • arquitetônico;
  • ambiental etc.

Materiais, mão de obra e serviços terceirizados precisam ser estudados nesse momento. Tudo deve ser documentado, temporizado e distribuído aos profissionais responsáveis, para que a execução obedeça uma sequência ininterrupta e não crie gargalos entre as fases do projeto.

Cumpra os prazos acordados

Para conseguir cumprir com os prazos o primeiro passo é estabelecer metas. Isso ajuda a manter o foco nos objetivos, creditar aqueles que se empenharam para conquistá-las e avaliar o que pode ser realizado para minimizar fatores que geram atrasos, como mão de obra onerosa e falta de material.

Esse requisito também exige certo planejamento, uma vez que é preciso vislumbrar um resultado em longo prazo para que as metas sejam devidamente estabelecidas. O método SMART (Specific, Mensurable, Achievable, Realistc e Time-based) é uma ferramenta muito eficiente para esse objetivo.

Por meio dele o gestor ou engenheiro responsável pela obra pode estabelecer metas mais específicas, mensuráveis, realistas, realizáveis e em tempo hábil para viabilizar resultados mais efetivos.

Esses objetivos devem ser a principal referência para a gestão de obras, já que reduzem os atrasos que tanto prejudicam a credibilidade dos profissionais e da construtora responsável pelo projeto. Também é necessário que elas sejam constantemente monitoradas por meio de KPIs (Key Performance Indicator).

Mantenha o controle do orçamento

Controlar o orçamento de uma obra não é fácil, mas os valores gastos sempre devem estar próximos do que foi calculado inicialmente. Por isso, é preciso organizar e lançar em um sistema de gestão ou planilha todos os custos ou receitas do projeto.

Nesses softwares é possível criar gráficos e relatórios personalizados que revelam especificidades da obra e ajudam a analisar os dados lançados para uma tomada de decisão mais acertada.

Por meio desse fluxo de caixa, por exemplo, é possível acompanhar se os resultados estão de acordo com o investimento realizado até aquele momento. Gargalos também são identificados, como gastos excessivos com determinado material que apontam uma má escolha entre fornecedores.

Além disso, o sistema pode fornecer uma visão geral acerca dos prazos e das obrigações que precisam ser cumpridas, como o pagamento de boletos e a necessidade de materiais e serviços de terceiros, evitando imprevistos e problemas de cunho financeiro.

Promova a redução de custos

Assim como controlar o orçamento, a redução de custos também exige habilidade e é de suma importância para uma boa gestão de obras. Afinal, não adianta fazer planejamento financeiro e não conseguir cumprir com o que foi planejado. Além disso, o que puder ser otimizado sempre agrega mais nos resultados do projeto.

Uma forma de reduzir os custos da obra é comprar com eficiência. Algumas empresas concedem bons descontos àqueles que adquirem volume maior de material. Mas essa quantidade deve estar de acordo com o planejado, para não exceder o orçamento previamente estabelecido nem acarretar perdas.

O estudo da necessidade de mão de obra também é importante. Contratar por empreitada pode ser a melhor opção para aqueles que planejam os custos em seus mínimos detalhes. Além disso, quanto mais cedo for a identificação de uma demanda, principalmente se isso envolver o trabalho de equipes terceirizadas, mais fácil será encontrar profissionais competentes para aquele serviço.

A contratação de profissionais qualificados também significa a redução de custos, uma vez que está associada à eficiência e à produtividade no canteiro de obras.

Outra forma de reduzir os custos da obra é atentar para o armazenamento adequado dos materiais. Uma acomodação sem critério pode acarretar na compra de material sobressalente, prejudicar a qualidade dos produtos ou uma perda significativa que onere o fluxo de caixa.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Faça a gestão de suprimentos

Durante as obras não é viável que o trabalho fique paralisado por falta de material. Essa ociosidade gera custos para o empreendimento e compromete a produtividade dos trabalhadores quando eles retomam o serviço.

Para impedir esse gargalo, é preciso que os materiais já estejam disponíveis quando a obra começar, pelo menos para a primeira fase do projeto. À medida que a obra evolui, o gestor pode estabelecer um critério para a aquisição de mais material, uma quantidade mínima, por exemplo, que quando alcançada justifica a solicitação de mais uma ordem de compra para o setor responsável.

Conte com a tecnologia

A tecnologia tem evoluído para atender as mais variadas demandas na construção civil. Além do sistema de gestão já citado, existem, por exemplo, impressoras 3D que criam materiais utilizados e drones, que realizam a medição da área, fazem o monitoramento das atividades ou a inspeção térmica da estrutura.

Além das ferramentas, materiais cada vez mais inovadores já fazem parte de vários projetos, como o bioconcreto e o concreto inteligente, que são capazes de recuperar suas próprias rachaduras, ou o aerogel, uma das substâncias que suporta até 45 mil vezes seu próprio peso e tem poder isolante até 4 vezes maior que a fibra de vidro ou a espuma.

Tenha um canal de comunicação integrado

A comunicação no canteiro de obras também deve ser eficiente. Ferramentas que integram todos os setores — planejamento, compras, profissionais etc., ajudam a reduzir os gargalos que podem surgir pela falta de informação, aquisições de materiais sobressalentes ou faltantes, por exemplo.

Além disso, é necessário que os clientes estejam bem informados sobre o andamento do projeto, principalmente quando os imóveis são adquiridos na planta. Essa sensação de pertencimento aumenta o comprometimento no pagamento das parcelas e ajuda a aumentar a credibilidade da incorporadora no mercado.

Priorize a segurança no trabalho

Os riscos da obra e os acidentes de trabalho também podem impactar diretamente na credibilidade do projeto. Durante a gestão de obras, é de suma importância prezar pelas medidas que aumentam a segurança dos profissionais na execução do serviço.

É preciso monitorar continuadamente o canteiro de obras e não permitir, em nenhuma hipótese, que qualquer atividade seja exercida sem os equipamentos de proteção individuais (EPIs).

Preze pela sustentabilidade

A sustentabilidade também é uma questão fortemente considerada nos dias atuais. O projeto deve priorizar, por exemplo, a ventilação e iluminação natural no ambiente, para aumentar a eficiência do uso de energia elétrica nas edificações e a gestão ecológica da água, com opções que viabilizam a coleta da água da chuva.

Outra forma de promover a construção verde é buscar soluções que potencializem o uso racional de energia ou viabilizem fontes de energias renováveis, como a energia solar. Os projetos também podem prezar pela redução do uso de materiais de alto impacto ambiental e da produção de resíduos durante a construção, por meio da modulação de componentes que diminuam as perdas ou potencializem a reutilização de materiais.

É possível construir “tetos verdes”, hortas e espaços coletivos, ruas e caminhos que privilegiem a acessibilidade universal, utilizar de dispositivos economizadores de água, por exemplo.

Boas práticas na gestão de obras, baseadas nos pilares da eficiência — baixo custo, qualidade e tempo de execução, podem otimizar o investimento, aumentar a satisfação dos usuários e a credibilidade da empresa no mercado.

Uma construtora experiente pode auxiliar na gestão de obras de forma a garantir que todos os processos sejam viabilizados com essa eficácia. Entre em contato com a Misorelli e veja como a melhor construtora em Itu pode ajudar no seu projeto!

banner e-bookPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *